sexta-feira, 2 de outubro de 2009

Pai

O meu Pai Morreu!

Digo-o assim desta forma fria e directa, porque era assim que ele lidava com as dificuldades da vida.
Foi assim, sem rodeios que ele enfrentou a verdade naquela manhã de Maio:
«Doutor, vamos chamar as "coisas" pelos nomes... É Cancro não é?»

Pois era...

Por enquanto fico por aqui... o pensamento anda confuso à procura de um sentido para o que não faz sentido.


Bons Encontros!

2 comentários:

Patrícia disse...

Olá
Há coisas que não fazem realmente sentido, nem nunca farão. Ficam as recordações e as coisas boas que nunca se desvanecem (o que o tempo tem de bom é que permite "seleccionar" o que deve ser esquecido) e que nos permitem recordar aqueles que amamos com um sorriso.
beijinhos
Pat

Miguel Soares disse...

O nosso Pai vive em cada um de nós, em todos as sementes que depositou em cada um de nós... e viu crescer!
Segui o seu caminho em Paz e sem resistências aos apegos terrenos.
Bjs do Mano Velho